terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

Manifesto anti Pólo Norte.


Basta, pimba, basta!


Uma geração que ouve os Pólo Norte, tem um belo futuro atrás de si.
É um coio de ignorantes, de choninhas e de surdos
É uma súcia de trogloditas mal formados
Apreciadora de frankeinsteins musicais
Que nem merece ouvir música.

Morram os Pólo Norte, morram, Pimba!

Uma Geração que chafurda nos dejectos
Da bonomia moralizante e passiva dos Pólo Norte
É sem dúvida uma turva de imbecis da pior espécie.
Os que apreciam instrumentais enlatados
Com palermices bradadas,
São seguidores da bandinha mais pequenina do mundo!

Os Pólo Norte não são portugueses
São habitantes da latitude dos imberbes sem imaginação doutra galáxia!
Os Pólo Norte podem saber tocar nos instrumentos
Mas que o vão fazer para uma casa de banho à prova de som!

Morram os Pólo Norte, morram, Pimba!

Os Pólo Norte são uns habilidosos!
Tocam umas baladas sem sal nem sentido;
São alimárias desajeitadas!

Os Pólo Norte têm mau hálito!
Os Pólo Norte vestem-se mal
Os Pólo Norte nem num top para maiores de 80 estariam bem!
Os Pólo Norte e bandas afins que vendem álbuns,
Explorando a falsa misericórdia dos hipócritas
E a credulidade dos lemas para anormais;
São bons samaritanos do lucro fácil!

Morram os Pólo Norte, morram, Pimba!

Não são as palermices dos Pólo Norte que fazem rir
É a sua frivolidade e oportunismo que escandalizam.
Se querem fazer o mundo girar na passividade ressentida, façam-no!
Mas por favor; não o digam a ninguém e calem-se para sempre!

Uma geração que ouve a pop decadente dos Pólo Norte
É uma geração que prima pelo seu ausentismo!
Todos aqueles que amaldiçoam a música Pimba
E apreciam a estupidez natural dos Pólo Norte
São uma alcateia de Pimbas Clandestinos e inconscientes!

Morram os Pólo Norte, morram, Pimba!


N.B. O nome da banda que se repete até à exaustão pode ser substituído pelo cantoautor (autor que anda pelos cantos) Pedro Pais ou mesmo por Mafalda Veiga.

2 comentários:

Anónimo disse...

Apoiado!
Sérgio

fatima disse...

ja chega de bater no cego mas gostei