sábado, 10 de fevereiro de 2007

VOTA SIM À DDD (DESPENALIZAÇÃO DOS DESÍGNIOS DIVINOS)

Caros amigos,

Este fim de semana realiza-se o segundo referendo em Portugal sobre a despenalização do aborto (IVG, IGV, TGV, HIV ou lá o que é). O segundo de certamente muitos futuros referendos sobre este mesmo assunto. Assim, e prevendo já esta situação, proponho a realização dum referendo ainda este ano, específico para esclarecimento do seguinte:

“Concorda com a despenalização do referendo, por livre opção do governo, desde que repetido após 8 anos de interrupção, em país reconhecido pela comunidade internacional?”

Infelizmente, a deliberação sobre a IVG por opção da mulher, como sabemos, não é suficiente para resolver a maior parte dos casos de aborto. Proponho por isso também a realização do seguinte referendo:

“Concorda com a despenalização da interrupção espontânea da gravidez por livre opção de Deus, desde que realizado até à 28ª semana em úteros de mulheres casadas pela igreja católica, por disfunções do seu organismo?”

Sim, que sentido é que faz Deus permitir a concepção dum embrião, para logo de seguida vir dizer que afinal era a brincar, porque não há compatibilidade das células, bla, bla, bla. Isto não pode ser argumento. Que direito tem Deus em destruir aquilo que havia sido concebido por graça divina? Andamos a brincar, ou quê?

Aproveitando, sugiro a consulta popular sobre o seguinte problema que atormenta diariamente a consciência do homem enquanto ser vivente no agregado familiar:

“Concorda com a despenalização do arroto por livre opção do homem, desde que realizado até às 3 horas após o almoço ocorrido em estabelecimento legalmente autorizado a vender bebidas alcoólicas?”

“Concorda com a despenalização da interrupção voluntária do Iraque, por livre opção do Bush, desde que realizada até 6 anos após deitarem abaixo as torres gémeas falsas”?

5 comentários:

Yugo Três Nunos disse...

Eu penso de que: se a mãe do presidente do bolo rei tivesse feito um aborto até às 12 semanas, teria saido um Marques Mendes! tenho dito

Anónimo disse...

Eu não li a lei, mas fui votar para ver se era entrevistado pela televisão... ainda me demorei em redor do edifício, mas este ano eles não foram lá filmar. Cabrões!

Movimento do "não" perpetuamente em campanha! disse...

Se Deus não quer que as mulheres interrompam a gravidez dê-lhes nozes para elas adquirirem vitaminas suficientes para aturar o Ministro da Saúde! E o estatuto deontológico dos médicos e bla,bla,bla...

Pedro Rodrigues de Sousa disse...

Proponho esta pergunta Concorda com a despenalização da interrupção involuntária da parvoice levada a cabo pelo Nuno Melo do CDS nas primeiras 10 semanas depois de ter sido acompanhado no Instituto Nacional dos Iremediavelmente Chanfrados?

teresa disse...

já agora pergunte-se: Concorda com a penalização de deus pelo nascimento de filhos deficientes sem prévia autorização dos pais?