quinta-feira, 8 de novembro de 2007

DÚVIDAS, MÁXIMAS E REFLEXÕES DE SARJA AKHMANI, REPÓRTER IRANIANO IV

*Das perplexidades de um iraniano

Se são elas quem, com a sua beleza, amor e poesia, nos incentiva a sermos homens; e se somos nós quem, com o nosso amor, falinhas mansas e parvoíces, as estimula a serem mulheres, coloco a seguinte questão: afinal de contas, quem é nos que estimula a todos a sermos umas gandas bestas?


*Do romantismo iraniano

Quando estou interessado numa mulher, puxo dos meus pergaminhos iranianos e, tal como fazia em Teerão, atiro-lhe com este fortíssimo naco de prosa teatral:

-- Você é linda, você é pura, você é misteriosa, você é densa… Quer que traduza em iraniano? Em iraniano "densa" diz-se "pura"...Como vê, um vocábulo muito diferente do português...Pura?"pura" diz-se "linda"...Bem sei que é difícil de pronunciar...Linda? Qual é o vocábulo iraniano para "linda"? Em iraniano "linda" é "densa"…Apesar de serem ambas indo-europeias, são línguas tão diferentes...Bem, você é tão misteriosa como uma rosa do deserto iraniano…Lembra-se daquela canção do Sting? Desert Rose lá lá lá…Pois vou contar-lhe um segredo: eu é que sou o autor da letra…O Sting falou há dias comigo e tal e escrevi aquela letra a pensar em si e tal…

Ela abre um sorriso a jorrar sumo de fruta da época:

--Sim, você está a ver as núvens lá em cima em forma de coelho e avestruz? Podíamos ser assim, se quisesse…Eu seria o seu coelhinho branco cheio de brilhantina e você, em contrapartida, seria a minha avestruzinha loura com uma grande cartola assim a puxar pró pró bizâncio…Não sei se me estou a fazer entender…


Ela revira os olhos e deixa crescer as pestanas postiças:


Na realidade, você além de bonita é inteligente, culta, viajada, sensual, simpática, elegante, cosmopolita, sei lá que mais! Você é uma princesa sem coroa…Deixe-me ser a sua coroa, o seu Euro, o seu Dolar…Você, princesa do deserto, é tudo para mim…Chegado a este ponto, digo-lhe em iraniano: na verdade, você é tão linda tão linda tão linda tão linda que chega a meter nojo à nojeira da nojentice!


*Do mau gosto nas amizades coloridas

Juro-vos que detesto amizades coloridas. É sempre a mesma coisa: queres uma relação vermelha? Verde? Amarela? Azul às pintinhas cor-de-rosa? Azul-bebé por mim está bem, pode ser azul-bebé, mas sem pintas, pode ser? Estão a ver a coisa? Depois há sempre quem teime em combinar as cores. Verde e azul? Não, não me agrada. Azul com amarelo? Foleiro, Sarja. Imaginava-te mais sensível. Amarelo com vermelho? Ridículo, és um totó do Irão. Até que um dia expludo nestes termos: Parvalhona! Quem foi que te meteu na cabeça que o azul-bebé não combinava bem com o glu-glu!?


Sarja Akhmani, repórter iraniano

2 comentários:

nuno gouveia disse...

Olha, um post do sérgio que cabe num A4. Hehe, isto deve valer denheiro, tal a raridade...

a tese de mestrado parece que disse...

citando: "você é tão linda tão linda tão linda tão linda que chega a meter nojo à nojeira da nojentice!"

Se esta frase resultar, então a rapariga é surda.