segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Luisíadas (canto I, estrofe 2)


E também as memórias gloriosas
Daqueles ministros, que foram dilatando
O absurdo, a parvoíce, e os actos viciosos
Tempo e credibilidade andaram devastando;
E aqueles, que por obras ruinosas
Se vão da lei da responsabilidade libertando;
Cantando espalharei por toda parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte

2 comentários:

Sérgio A. Correia disse...

Melhor que o original! Parabéns!

Amigalhaço rapsodo disse...

Esse Luís Vales de Calmões é melhor do que o próprio Filipe, às vezes...